top of page
Depoimentos (1).png
  • Foto do escritorFlávio Danilo Haas

Terra Mato

Com a proximidade da primavera, me recordo dos tempos de adolescente quando, nesta época, minha mãe pedia para que providenciássemos terra de mato, a fim de que pudesse fazer a troca de vasos e o transplante de mudas das folhagens que tínhamos em casa.

O que tem de especial esta terra? Riqueza de matéria orgânica, detritos vegetais na superfície, porosidade, ausência de compactação, nutrientes reciclados, resumindo: terra com VIDA ou TERRA FÉRTIL.



Por outro lado, se observarmos a cobertura vegetal original da maior parte das lavouras do sul do Brasil, teremos a MATA NATIVA como resposta. Ora, se nossas lavouras estão estabelecidas sobre “terra de mato”, como é que temos tantos problemas de compactação, falta de matéria orgânica, baixa infiltração de água (trazendo de volta a praga da EROSÃO) e tantos outros problemas? A resposta é simples: degradamos (oxidamos) a matéria

orgânica, não fazemos rotação de cultura adequada, compactamos e limitamos a reposição de resíduos vegetais que possibilitem a manutenção das 3 fertilidades: FÍSICA, QUÍMICA e BIOLÓGICA. Elas precisam estar equilibradas e permanentemente atendidas, sob pena de perdermos capacidade produtiva.




Se olharmos para o potencial genético dos cultivares hoje recomendados, em todas as principais culturas, veremos que ele é muito maior do que as produtividades médias alcançadas nas nossas lavouras comerciais e, um dos maiores limitantes para irmos além, é justamente o mau uso e manejo do solo, nosso insumo mais importante.


A Allianza trouxe para o mercado uma importante ferramenta tecnológica na busca pela recuperação gradual da qualidade dos nossos solos, o condicionador de solos AllSolo, formulado com substâncias húmicas e com excelentes respostas em produtividade e na melhoria dos atributos químicos e físicos, medidos através da análise química do solo.


Cuidar do solo é uma responsabilidade inadiável!!! Faça a sua parte. E já!


Eng.-Agr. Flávio D. Haas – Desenvolvimento de P & M.

Comments


bottom of page